Atenção

Fechar

Banner
Biblioteca

Aços & Ligas | Aços e Ferros Fundidos | Aços para Ferramentas e Matrizes

07 - Aços-ferramenta para moldes

Estes aços estão representados na Tabela 86 (193). Os pertencentes aos tipos 370 a 376 (AISI P1 a P6) caracterizam-se por baixo teor de carbono e a presença, em porcentagens variáveis, de diversos elementos de liga. Esses aços somente apresentam resistência mecânica ao desgaste necessária para as aplicações a que se destinam, após tratamento termo-químico de cementação.

Depois de cementado, o tipo 370 (P1) apresenta uma resistência ao desgaste semelhante a dos aços-carbono simples para ferramentas tipo 110, enquanto o tipo 376 (P4) cementado possui uma resistência ao desgaste próxima da do aço para trabalho a frio temperável ao ar tipo 420 (A2).

O tipo 370 (P1) é o mais fácil de ser conformado. A presença de vanádio nesse aço tende a produzir uma camada cementada de granulação fina.

Os outros tipos, de 371 a 376 ainda são facilmente conformáveis (embora menos que o tipo 370). A presença de elementos de liga tende a aumentar a sua endurecibilidade, a qual cresce à medida que se caminha para o tipo 376.

Os tipos utilizados em cavidades usinadas (380 a 386) são de média profundidade de endurecimento, com exceção do tipo 383 (P21) que endurece mais profundamente. Este tipo possui ainda o característico de ser um aço endurecível por precipitação, comportando-se como certas ligas de alumínio. Ele é temperado em óleo. Um revenido entre 677 e 690 graus C durante uma hora age como um tratamento de solubilização e reduz a dureza a um valor (em torno de 30 RC) que permite a usinagem do material, Um tratamento posterior de envelhecimento a 565 graus C, durante 8 horas, causa o endurecimento por precipitação (46 RC), provavelmente pela formação de um composto intermetálico níquel-alumínio.

Os tipos 384, 385 e 386 podem ser considerados aços inoxidáveis martensíticos, apresentando boa resistência à corrosão.

As temperaturas de tratamento térmico estão indicadas na Tabela 87, devendo-se notar que as temperaturas de têmpera propostas e as durezas apresentadas para os tipos de 370 a 376 são após a cementação.

O recozimento confere excelente usinabilidade e capacidade de conformação de cavidades. Contudo, os moldes de cavidades conformadas podem exigir recozimentos intermediários de alívio de tensões antes que a conformação tenha atingido a profundidade desejada.

 

Tabela 87 – Temperaturas de tratamento térmico e durezas de aços-ferramenta para moldes

 

 

Tipo

AISI

 

Dureza de trabalho RC

Dureza superficial no estado temperado RC

Temperaturas de tratamento térmico, °C

Recozimento

Têmpera

Meio de resfriamento

Revenido (faixa)

370

P1

50 a 64

62 a 64

« Voltar