Atenção

Fechar

Biblioteca

Aços & Ligas | Aços e Ferros Fundidos | Ferros Fundidos Maleáveis

4 - Maleável perlítico

Este maleável apresenta propriedades melhores, devido sua estrutura. Em face do desenvolvimento constante da técnica de maleabilização, tem sido possível produzir, no maleável,estruturas diversificadas. Assim, o maleável perlítico apresenta estruturas diferentes, dependendo do ciclo de maleabilização (328).

 

Os materiais com dureza na faixa mais alta obtida por resfriamento ao ar e revenido apresenta perlita revenida e “olhos de boi” ferríticos, ou seja, uma orla de ferrita em torno de nódulos de grafita: nessa mesma faixa de dureza, os materiais resfriados em líquidos e revenidos consistem de martensita parcialmente esferoidizada uniforme. No nível baixo de dureza, abaixo de 197 Brinell, as estruturas são semelhantes, respeitadas as condições de resfriamento.

 

O ciclo de maleabilização compreende vários estágios. O primeiro, entretanto, corresponde exatamente ao do ciclo de produzir maleável de núcleo preto. A partir desse primeiro estágio, são introduzidas as modificações que podem levar ao maleável perlítico.

 

As possíveis alterações são as seguintes (329):

 

- terminado o aquecimento correspondente ao 1° estágio, resfria-se no forno até 785°C870°C; retira-se do forno e resfria-se ao ar; revine-se até a desejada dureza;

 

- resfria-se no forno até 785°C-870°C; retira-se e resfria-se ao ar, como acima; em seguida reaquece-se a 815°C-870°C e resfria-se em água ou óleo; revine-se até a dureza desejada;

 

- completa-se o ciclo de maleabilização para a produção normal do maleável; em seguida reaquece-se a 815°C-870°C e resfria-se ao ar ou em líquido; revine-se até a dureza desejada.

 

A ASTM, por intermédio de sua norma A-220, especifica as propriedades mecânicas dos maleáveis perlíticos e martensíticos, de acordo com os valores apresentados na Tabela 177.

 

Os maleáveis perlíticos de maior resistência mecânica são obtidos por têmpera em óleo e revenido, ao passo que os níveis médios de resistência são obtidos por têmpera ao ar e revenido.

 

Com tratamento térmico adequado, podem-se obter ferros meláveis com matriz apresentando uma microestrutura bainítica. Nessas condições, os ferros maleáveis podem ser empregados em aplicações especiais, tais como correntes de alta resistência.

 

O tratamento térmico que possibilita a obtenção de tal microestrutura é a têmpera a quente, em banho de sal, das peças fundidas.

 

O exemplo abaixo ilustra melhor a matéria, pois indica as propriedades que podem ser obtidas com dois tratamentos desse tipo, após austenitização a 900°C.

 

Temperatura do banho de sal ----------------- 400°C --------------------- 293°C

 

Tempo ------------------------------------------- 3 horas -------------------- 3 horas

 

Dureza Brinell ---------------------------------- 288 ------------------------ 387

 

Resistência à tração, kgf/mm2 (MPa)-------- 88,6 (873) ---------------- 100,9 (994)

 

Limite de escoamento, kgf/mm2 (MPa) ---- 73,3 (722) ---------------- 96,8 (954)

 

Alongamento em 50 mm, % ------------------ 1,4  ------------------------ 1,0

« Voltar